Reconhecimento de Estudos e transparência

Versão para imprimir

O sistema de créditos seguido no ISPGAYA baseia-se nos três critérios fundamentais estabelecidos pela Comissão Executiva Europeia: informação (relativa a programas de estudo e desempenho dos alunos); mútuo acordo (com as instituições parceiras e os estudantes); e utilização do sistema de créditos (de acordo com a carga de trabalho prevista do estudante). Estes três elementos básicos são operacionalizados através de três documentos - chave: o Guia informativo, o Formulário de candidatura ECTS/Contrato de estudos e o Registo académico, e a utilização do Suplemento ao Diploma.
Através do “código de boa prática” dos ECTS, o ISPGAYA proporciona:

1. Completo reconhecimento académico uma vez que ele é condição sine qua non para a mobilidade de estudantes no quadro dos programas de aprendizagem ao longo da vida.

2. Transparência, através:


(i) Sistema de créditos, valores numéricos atribuídos às unidades do curso, com a descrição da carga de trabalho requerida para as completar. Descrevem a quantidade de trabalho exigida em cada unidade do curso em relação com a quantidade de trabalho para completar um ano de estudos académicos na Instituição, na forma de aulas assistenciais, trabalho prático, seminários, tutorias, trabalho de campo, estudo autónomo – em casa ou em bibliotecas e centros culturais –, exames e outras formas de avaliação. Assim, o sistema de transferência de créditos europeu funde-se na total carga de trabalho do aluno e não apenas nas horas de contacto realizadas. Neste sistema, 60 créditos correspondem à carga de trabalho de um ano académico; 30 créditos correspondem a um semestre, e 20 a um trimestre.

(ii) O Guia informativo do sistema de créditos fornece informação escrita aos estudantes e pessoal das instituições, faculdades/departamentos, bem como a estrutura e organização dos cursos e respectivas unidades.

(iii) O Formulário de candidatura ECTS/contrato de estudos no sistema de créditos descreve o programa de estudos a realizar e os créditos a atribuir pela sua correcta realização, comprometendo-se o estudante a encarar o estudo no estrangeiro como parte integrante da sua formação superior; por seu turno, a sua instituição de origem garante-lhe total reconhecimento dos créditos obtidos no estrangeiro, enquanto a instituição de acolhimento se compromete a aceitar as unidades de curso combinadas, bem como a calendarização das mesmas.

(iv) O Registo académico serve para comprovar os resultados académicos dos estudantes que devem ser claros, concisos, compreensíveis e facilmente transferíveis de uma instituição para outra.